/Conselho encontra riscos a pacientes e servidores do HV

Conselho encontra riscos a pacientes e servidores do HV

Em obras, o Hospital da Vida foi alvo de vistoria do Coren/MS (Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul) na semana passada. Os fiscais identificaram diversas irregularidades, desde o aspecto da construção até falta e sucateamento de insumos e equipamento, além da sobrecarga a servidores.

A visita aconteceu na manhã de quinta-feira (5) pelo próprio presidente do órgão Sebastião Júnior Henrique Duarte, na companhia de coordenador de fiscalização, fiscais, procuradora-jurídica e conselheiros.

Segundo nota encaminhada ao Dourados News, as condições de salubridade, tratamento adequado e de trabalho dos servidores estão comprometidas. A avaliação resultou em reunião com a 10ª Promotoria de Justiça e solicitação para audiência pública na Câmara de Vereadores.

IRREGULARIDADES ENCONTRADAS

Segundo pontuado pelo Coren, as obras que estão sendo realizadas no hospital colocam em risco a qualidade do tratamento dos pacientes internados na unidade.

“O Hospital da Vida passa por uma reforma em todos os setores e os operários responsáveis pela obra transitam em meio aos pacientes, o que prejudica o atendimento. Além de que todos os resíduos da construção geram poeiras, isso traz o risco de contaminação àqueles que estão internados nas alas da unidade de saúde. A movimentação dos trabalhadores da construção civil gera muito ruído dentro do estabelecimento trazendo um desconforto às pessoas que precisam do descanso para se recuperar enquanto estão internados para tratamento”, afirma.

Além disso, os fiscais encontraram também “superlotação de pacientes, falta e sucateamento de equipamentos de emergência como os monitores multiparamétricos cardíacos, de pressão arterial, temperatura, oximetria”. Tais irregularidades foram identificadas nas áreas críticas, sejam elas vermelhas ou amarelas. O Coren ressalta que, “todos os equipamentos são importantes para o acompanhamento da saúde do paciente”.

Sebastião contou também em entrevista a reportagem que em alguns setores há incidência de mofo e infiltrações, colocando em risco a saúde já comprometida dos pacientes e também dos trabalhadores.

O presidente do Coren ressaltou que a sugestão do conselho seria retirar os pacientes das alas comprometidas pelas obras. Além disso, o órgão entrou com ação na Justiça contra o Município após recusa do poder público para cumprimento de TAC (Termo de Ajustes de Conduta).

“Estamos aguardando audiência. Esperamos que o poder público assuma a responsabilidade e cumpra com suas obrigações nessa situação”, afirmou Sebastião.

Também foi registrado a falta de insumos e medicamentos e profissionais de enfermagem expostos a longas jornadas de trabalho, sendo esse excesso de serviço somado ao déficit de pessoal para a realização da função.

Em relação aos servidores de enfermagem, Sebastião classificou como “subumana” as condições de trabalho dos profissionais. Segundo ele, em horários de repouso, os trabalhadores são obrigados até a dormir no chão por falta de local adequado. Além disso, o número defasado de servidores prejudica ainda mais o trabalho dos enfermeiros no hospital.

OUTRO LADO

Dourados News entrou em contato com o presidente da Funsaud (Fundação de Serviços em Saúde de Dourados) Luiz Carlos Fernandes de Mattos Filho solicitando posicionamento às denúncias, já que a fundação é responsável por administrar a unidade de saúde.

Mattos Filho disse que a equipe técnica já havia recebido os apontamentos e estaria fazendo “análises”.

O Hospital da Vida atende centenas de pacientes diariamente, tanto de Dourados quanto os demais municípios da macrorregião.

Fonte: Vinicius Araujo