/Família de jovem morto em terminal de ônibus de MS contesta versão de atropelamento: ‘Está dolorido demais’

Família de jovem morto em terminal de ônibus de MS contesta versão de atropelamento: ‘Está dolorido demais’

A família do jovem William Cano Ferreira, de 18 anos, que morreu após atropelamento no Terminal General Osório, em Campo Grande, contesta versão inicial da polícia. O acidente ocorreu há 3 dias. Na ocasião, foi informado que o jovem estaria com mais 2 amigos, quando tentou subir e se desequilibrou, momento em que a roda traseira passou em cima dele. Já os parentes ressaltam que ele pagou a passagem e apenas desceu do ônibus para comprar um salgado, quando percebeu a saída do veículo, correu para alcançá-lo e ali ocorreu o acidente. .

“Ele pagou a passagem e estava dentro do ônibus sentado. Como eles ficam um tempo ali parados, meu primo decidiu comprar um salgado. A porta do meio permaneceu aberta, porém ele viu que o coletivo ia sair e foi correndo, mas, o motorista fechou a porta e então ele se desequilibrou. Uma moça que tentou reanimá-lo falou conosco e inclusive ressaltou que o motorista continuou o trajeto, sem se preocupar com o que tinha acabado de acontecer”, afirmou ao G1 a auxiliar de serviços gerais, Grazieli Cano da Silva, de 25 anos.

Conforme Grazieli, toda a família está muito abalada. “Testemunhas disseram que ele continuou o trajeto, chegou a sair do terminal e parou somente quando um mototaxista foi atrás dele e avisou que ele tinha matado alguém. A versão que ficou era de que o William era um bandido, vândalo. Não era nada disto, era o filho caçula que trabalhava para ajudar a mãe cadeirante. Além de auxiliar de pedreiro, ele ainda vendia os pães que ela fazia”, comentou.

Ônibus estava em movimento, quando jovem de 18 anos tentou forçar a portam caiu e morreu na hora — Foto: Osvaldo Nóbrega / TV Morena

Ônibus estava em movimento, quando jovem de 18 anos tentou forçar a portam caiu e morreu na hora — Foto: Osvaldo Nóbrega / TV Morena

A prima fala ainda que o jovem morreu “sem um pingo de respeito”. “Nós não sabemos direito nem que horas ele morreu, porque fomos avisados somente na madrugada de domingo. Minha tia recebeu a ligação de uma pessoa pedindo documentos dele. Ainda estamos desnorteados. Ele era uma pessoa especial, está dolorido demais”, lamentou.

Entenda o caso

William foi atropelado por um ônibus na saída do terminal General Osório, no bairro Cruzeiro, em Campo Grande, na noite de sábado (13). O Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) foi acionado, fez tentativa de ressuscitação, porém o jovem morreu no local. A causa da morte foi apontada como traumatismo na região do tórax, ainda conforme a polícia.

O fato foi registrado por volta das 19h35 (de MS), como homicídio culposo. A vítima não tinha antecedentes criminais. “O motorista do ônibus vai responder por homicídio culposo, de acordo com o artigo 302 do Código de Trânsito Brasileiro. É uma questão jurídica, na qual ele poderia ter previsto o resultado, embora nós saibamos que a vítima contribuiu e muito para o acidente”, finalizou o delegado .

O caso é investigado pela 1ª Delegacia de Polícia. Conforme o diretor-presidente da Associação de Empresas do Transporte Coletivo Urbano de Campo Grande (Assetur), João Rezende, as imagens de circuito interno devem ser analisadas.

Terminal General Osório, onde ocorreu atropelamento em MS — Foto: Osvaldo Nóbrega / TV Morena

Terminal General Osório, onde ocorreu atropelamento em MS — Foto: Osvaldo Nóbrega / TV Morena