/Polícia diz que jovem carbonizado em carro já tinha recebido ameaças: ‘Não morreu antes porque estava com bebê no colo’

Polícia diz que jovem carbonizado em carro já tinha recebido ameaças: ‘Não morreu antes porque estava com bebê no colo’

A Polícia Civil prendeu dois suspeitos de matar um jovem carbonizado dentro de um carro, no Jardim Anache, em Campo Grande. A dupla, de 18 e 29 anos, passou a noite anterior na cadeia e deve passar por audiência de custódia nesta segunda-feira (19). Durante a investigação, a mãe da vítima prestou depoimento e disse que ele já tinha recebido inúmeras ameaças e somente não foi morto porque estava com um bebê no colo.

“O filho dele já tinha sido ameaçados pelos dois presos. Ela inclusive relatou que houve uma situação anterior, em que eles passaram na frente da casa para vítima para matá-lo, porém não fizeram no momento porque ele estava com um bebê no colo. Depois, chamaram ele para uma conversa e cometeram o crime”, afirmou ao G1 o delegado Leandro Lacerda, plantonista da Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) Centro.

Ainda conforme o delegado, a mãe comentou que o motivo da desavença teria sido uma postagem da vítima no Facebook. “Ele demonstrou apoio a uma facção criminosa em uma foto e isso gerou uma ordem, de dentro da cadeia e uma pessoa da facção rival, para executá-lo. Ainda não temos elementos para afirmar que ele pertencia a um destes grupos, somente que os criminosos eram membros de disciplina, o que significa que estavam a serviço do crime, na linguagem deles”, explicou Lacerda.

Polícia já prendeu dois suspeitos pelo crime em MS — Foto: Fabiano Arruda/TV Morena

Polícia já prendeu dois suspeitos pelo crime em MS — Foto: Fabiano Arruda/TV Morena

O caso, a partir desta semana, deve tramitar na 2ª Delegacia de Polícia. “Estamos aguardando a chegada do inquérito policial. Temos este indicativo, de que foi mais um caso do tribunal do crime. Além da mãe, os policiais também prestaram depoimento e tudo o que foi dito está sendo investigado, tanto a causa da morte com o laudo do Imol [Instituto de Medicina e Odontologia Legal], como a postagem e o que aconteceu no local do crime”, comentou o delegado Sérgio Luiz Duarte, titular da unidade policial.

Entenda o caso

O corpo do rapaz de 22 anos foi encontrado nesse domingo (18), na rua Elias Catan. Ele estava carbonizado dentro de um carro, que também foi destruído pelas chamas e possui placas final 2558.

Os policiais do Pelotão Nova Lima já faziam rondas na região, quando foram acionados por populares, por volta das 8h (de MS). Eles repassaram o endereço de onde estaria o veículo e então o corpo foi encontrado, no banco traseiro.

A polícia este no local e, com a perícia, foi apurado que havia um fio ao redor do pescoço e a possibilidade da vítima ter sido estrangulada.