/Polícia Federal deixa escritório de deputado sem levar nada
deputado Zé Teixeira preso

Polícia Federal deixa escritório de deputado sem levar nada

Investigadores da Polícia Federal deixaram o escritório do deputado estadual Zé Teixeira (DEM) por volta das 9h desta quarta-feira (12).

Segundo informações colhidas pelo Dourados News no local, os agentes teriam chegado às 6h para cumprimento de mandado de busca e apreensão no escritório parlamentar do democrata.

Segundo um dos assessores, nenhum documento foi levado do local. Agentes federais não quiseram conversar com a imprensa.

A Operação Vostok foi deflagrada para apurar suposto esquema de pagamento de propina para isenção fiscal de empresa frigorífica no Estado.

Na Capital, Zé Teixeira foi preso em um hotel e preservou o direito de não se posicionar aos jornalistas. O parlamentar cumpre seu sexto mandato como deputado estadual e está na corrida eleitoral para reeleição.

A operação

O objetivo da operação, conforme a PF, é combater um esquema de pagamento de propina a representantes da cúpula do Poder Executivo Estadual. As investigações foram iniciadas no início deste ano, tendo por base a delação premiada dos executivos da JBS, Wesley e Joesley Batista.

Os colaboradores detalharam os procedimentos adotados junto ao governo do Estado para a obtenção de benefícios fiscais – TARE’s.

O inquérito foi autorizado e tramita perante o Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília, que decretou as medidas em cumprimento.

Segundo apurado, do total de créditos tributários auferidos pela empresa dos colaboradores, um percentual de até 30% era revertido em proveito da organização investigada.

Nos autos do inquérito, foram juntadas cópias das notas fiscais falsas utilizadas para dissimulação desses pagamentos e os respectivos comprovantes de transferências bancárias.

Vostok

O nome da operação está relacionado a uma estação de pesquisa russa localizada na Antártida onde já foi registrada uma das menores temperaturas do planeta. O nome faz referência às notas fiscais frias utilizadas para a dissimulação dos pagamentos.

Fonte: Douradosnews