/Brasileiro é sequestrado e executado no Paraguai por grupo de guerrilha, diz polícia

Brasileiro é sequestrado e executado no Paraguai por grupo de guerrilha, diz polícia

A Força Tarefa Conjunta da polícia paraguaia informou que encontrou o corpo de Valmir de Campos, que seria cunhado de Rudy Paetzol, prefeito de Coronel Sapucaia (MS), cidade que faz fronteira com Capitán Bado, no Paraguai.

Valmir de Campos foi executado por grupo de guerrilha no Paraguai — Foto: Facebook/Reprodução

O brasileiro teria sido executado por 6 homens que disseram pertencer a um grupo criminoso de guerrilha, denominado Exército do Povo Paraguaio (EPP). A polícia paraguaia ainda não tem informações sobre o motivo da execução.

Valmir de Campos era brasileiro, tinha 48 anos e se dedicava à venda de madeira. Os criminosos invadiram a fazenda “El Ciervo” onde ele trabalhava em um trator na extração de madeira com mais 4 pessoas, por volta de 15h.

Segundo a polícia, os homens renderam-no e o sequestraram junto com os demais, três paraguaios e um brasileiro. O restante do grupo foi liberado. O corpo de Valmir foi encontrado às 23h45 de ontem, em uma região conhecida como Retiro Três Marias, na própria fazenda.

O corpo ficou no local até a manhã desta terça-feira (20), até a chegada da equipe forense do Ministério Público. Os outros homens sequestrados junto com Valmir, disseram à polícia que ouviram disparos de arma de fogo e que viram maquinários da fazenda pegando fogo.

A fazenda El Ciervo fica a poucos quilômetros da fronteira do estado de San Pedro com Amambay, e faz parte da área onde o EPP é responsável por vários sequestros e assassinatos na região Leste do Paraguai. O grupo de guerrilha, fundado em 2008, sustenta-se com o dinheiro de resgates de sequestros.